A literatura deve fazer parte do cotidiano das crianças em fase de alfabetização? Histórias devem permear os estudos das crianças que estão no Ensino Fundamental? E os adultos que se relacionam melhor com a literatura, são mais bem-sucedidos? Idosos que decidem preencher seu tempo com um bom livro… são mais felizes?

A resposta para tantos questionamentos está, com certeza, dentro de um livro…
Entendemos que a leitura abre novos caminhos e significados, proporciona viagens particulares e independentes. Ler, ouvir e contar histórias deve permear a vida das pessoas em todas as instâncias.

Na escola, as crianças ouvem histórias na companhia de seus colegas e, assim, se arriscam com mais segurança, aguardam a próxima página com euforia e se “alimentam” das ideias dos outros. A partir do momento em que um livro é aberto para um grupo de crianças dispostas a fazer parte dessa aventura, cada uma delas estabelece suas próprias relações com as imagens, palavras e contextos oferecidos. E essa relação deve ser respeitada e instigada. As crianças podem ser estimuladas a criar em cima da história lida, a dividir e trocar ideias com o grupo ou simplesmente ouvir pelo prazer de ouvir.

O adulto que pretende se colocar no papel de leitor para uma criança não precisa de um local específico para ler uma história, nem de um livro que buzine, brilhe ou se desdobre em mil objetos, mas tem que saber como favorecer relações instigantes entre as crianças e as narrativas. Há um caminho de muita confiança entre leitor e receptor. As histórias não precisam da “tradução” dos adultos ou de simplificações que barateiam a narrativa. Enquanto lemos, a criança entende onde o texto pretende se “calar” ou nos interrogar.

Sugerirmos que aproveitem cada momento para ler, ouvir ou contar histórias que enriquecerão o imaginário das crianças que os cercam.

Fonte: http://acervo.novaescola.org.br/educacao-infantil/4-a-6-anos/literatura-educacao-infantil-comecar-muitos-livros-584120.shtml
http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/rcnei_vol1.pdf
http://www.vila.com.br/blog/

Share This